web analytics

Saiba usar melhor o Facebook

A área de marketing digital pode ser um pouco ingrata, ainda mais quando se trata das redes sociais. Já ficou comprovado que investir em propaganda nas redes sociais dá um retorno positivo devido ao gigantesco número de usuários que utilizam os diversos sites inseridos nesse segmento, como Facebook, Twitter, Google+, dentre outros.

Os especialistas em marketing digital muitas vezes realizam análises e estudos minuciosos para aprenderem a “manipular” as redes sociais a seu favor. Ao identificar o que traz mais retorno para uma determinada empresa ou negócio, esses profissionais usam e abusam da ferramenta para que o público conheça o empreendimento e permaneça em contato direto com a página criada para divulga-lo. Um exemplo disso é a recente descoberta de que as mídias sociais ajudam em SEO.

O problema é que as regras mudam – mais do que isso; a maneira com que se é notado nas redes sociais é modificada. O motivo? Bem, digamos que as redes sociais aprenderam a ganhar dinheiro através dessas empresas que utilizam seus respectivos espaços para fins de divulgação e propaganda.

As mudanças que mais tem causado estranhamento e dificultado o marketing digital são as que foram implementadas no Facebook. A velha fórmula de conseguir “curtidas” e adicionar amigos já não se mostra tão eficaz.

 

 

Mas, afinal, o que mudou?

 

Há aproximadamente dois anos, o Facebook divulgou publicamente a ideia de oferecer um espaço para empreendedores que desejam divulgar suas empresas. Logo, as mudanças que citamos acima começaram a aparecer.

Antigamente, o que importava era:

  1. conseguir “curtidas” não só para as publicações, como também para a página criada para a divulgação da empresa ou
  2. adicionar o maior número possível de usuários como amigos, caso não tenha sido criado uma página de divulgação e sim um perfil nos moldes padronizados do Facebook.

Se você seguisse qualquer um desses caminhos, já garantia em parte o sucesso de sua empresa no Facebook.

Com as mudanças estabelecidas aos poucos nesse período de dois anos, o Facebook tornou indisponível o acesso fácil e gratuito por parte dos usuários ao conteúdo compartilhado pela página da empresa. Agora, é necessário “adicionar” a página em sua lista de interesses ou seguir um determinado perfil para que todas as publicações sejam visualizadas. Em outras palavras, o público que você lutou para conquistar não tem mais suas postagens em suas linhas do tempo, a não ser que corram atrás e adicionem sua página na lista de interesses.

O problema é que nem todos fazem isso. Estudos apontam que apenas 10% dos usuários continuam a visualizar todo o conteúdo da página – e esse número pode cair para 5% em casos mais extremos. Logo, o que fazer? Abandonar essa audiência gigantesca e partir para outra rede social?

Felizmente, não.

 

 

Aprenda a tirar proveito dos novos elementos do Facebook.

 

Facebook ads

Como já dissemos antes, o Facebook é o melhor. Logo, todos querem descobrir a melhor maneira de utilizá-lo, mesmo com as mudanças.

A boa notícia é que alguém conseguiu: Jonathan Sellers, especialista em mídias sociais na empresa EMSI Public Relations explica que “o objetivo não é mais conseguir curtidas ou ser adicionado pelos usuários, e sim entregar o conteúdo da página ao seu mercado”.

Logo, você não precisa mais convencer as pessoas a seguí-lo, e sim tornar seu conteúdo disponível para uma audiência específica. Para isso, Sellers determinou três características que podem auxiliar sua empresa nessa tarefa.

Primeiramente, vamos falar sobre a flexibilidade. O Facebook agora permite que você crie anúncios pelos mais variados motivos. Essas propagandas tornam-se visíveis para um grande número de usuários que nem sempre seguem sua página. Logo, se você está prestes a lançar um novo produto ou serviço, se planeja algum evento ou se está iniciando sua empresa e deseja torna-la conhecida, basta criar esse anúncio. Ele tem o potencial de atrair pessoas à sua página e incita uma interação direta entre sua empresa e o público.

Para auxiliar na criação do anúncio, o Facebook oferece também o direcionamento. Basicamente, você pode determinar quais usuários receberão seus anúncios. O interessante é que o Facebook vai além das características comuns como idade, sexo ou ocupação; você pode se basear nos interesses das pessoas, ou seja, no conteúdo que elas compartilham e nas páginas que elas curtem. Dessa maneira, você se certifica de que as pessoas que tem a ver com sua empresa e consumiriam seus produtos ou serviços recebam a divulgação adequada. Os resultados aqui se mostram satisfatórios.

Por fim, é possível monitorar quão eficaz é o anúncio e para onde exatamente está indo o dinheiro investido nele. Com isso, você pode aprender como utilizar melhor os anúncios e de que maneira eles trarão o retorno desejado.

Recomendamos a leitura de um artigo anterior onde falamos sobre boas práticas no Facebook. Aliando essas práticas as orientações dessa publicação, você pode desfrutar ainda mais do que essa rede social pode oferecer!

A conclusão que fica é que não se pode depender completamente de uma rede social. É preciso traçar suas próprias estratégias de marketing e utilizar páginas como Facebook, Twitter e Google+ apenas como ferramentas a seu favor. 

Quer dominar o Facebook como ferramenta de marketing? Então comece com essa série gratuita de vídeos sobre as 6 coisas que você PRECISA saber sobre Facebook marketing!


Você também vai gostar de:

Share This