web analytics

Devo utilizar o WordPress?

A Internet é um ambiente muito dinâmico e, cientes disso, diversas empresas oferecem ferramentas e maneiras variadas de construir um site. A mais popular dentre elas, o WordPress, tem conquistado um número gigantesco de usuários, que se identificam com sua facilidade que mescla a utilização de plugins com todo tipo de função e temas personalizados.

A personalização é um dos objetivos de qualquer usuário ou empresa que deseja ter um site. Basicamente, eu não quero que minha página seja similar à página de meu concorrente – ainda mais se o meu site for criado depois do site do meu concorrente. Quero ser reconhecido não só pelo meu conteúdo ou pelo serviço que tenho a oferecer, mas pela aparência do site em si.

Isso faz muito sentido; todos querem que sua marca seja identificada de maneira rápida e visual. Isso facilita na fixação da mesma, bem como na lembrança dela numa eventual compra ou até mesmo num futuro acesso com fins de entretenimento – é o caso de blogs e sites informativos.

Sendo assim, será que o WordPress, que possui temas e organização pré-definidas (apesar da abertura para mudanças) – além de empresas especializadas na hospedagem para essa plataforma – é a melhor opção? E se um site fosse iniciado e desenvolvido a partir do zero? Não seria mais fácil se diferenciar?

Tendo tudo isso em mente, lançamos a pergunta que intitula essa publicação: devemos utilizar uma plataforma determinada (como o WordPress) para criar meu site, ou devo começá-lo do zero?

 

 

Primeira etapa: definir o objetivo.

 

Com definição de objetivo, nos referimos ao propósito do site. Você possui uma empresa que comercializa mídias e deseja vende-las pela Internet? Ou então deseja iniciar um ecommerce para sua empresa de suprimentos para escritório? Talvez seja uma empresa de maior porte, ou então a ideia seja criar um blog para compartilhar notícias e artigos com os mais diversos temas.

Com base no objetivo, é possível traçar um caminho. Se você deseja criar um site simples para realizar postagens eventuais, como um blog pessoal ou corporativo, o WordPress pode ser uma boa pedida. A plataforma oferece até alguns plugins para desenvolver um ecommerce, mas dependendo da dimensão do mesmo, criar um site por conta própria representa uma alternativa mais satisfatória.

O que não deve ser feito é decidir entre a presença ou a ausência do gerenciador de conteúdo no desenvolvimento do site sem ter um objetivo definido. Se esse equívoco ocorrer, as chances de escolher a opção menos favorável para você crescem substancialmente.

 

 

Segunda etapa: conhecimento.

 

Com o objetivo definido, é preciso pensar nas vias que serão tomadas para atingí-lo. Se você concluiu que construir um site sem o auxílio de uma plataforma é a melhor opção, deve estar ciente dos percalços que essa tarefa acarreta. Isso vai desde o conhecimento em HTML até o domínio de áreas que envolvem programação, desenvolvimento web e codificação em geral. Logo, lançamos a pergunta: você se sente preparado para criar um site do zero?

Se a resposta for sim, vá em frente! Se você não se sente preparado, porém, existem algumas possibilidades que podem auxiliá-lo: a contratação de uma empresa de hospedagem para cuidar da parte técnica que envolve a construção do site, a criação de uma equipe de T.I. que inclua todas as áreas que citamos – o que pode encarecer, fator que será analisado mais a frente – ou a utilização do WordPress, que possui um sistema aberto o suficiente para permitir a personalização em seu conteúdo.

Essa abertura permite que você altere alguns códigos presentes no WordPress e diferencie sua página das demais. Para isso, basta possuir algum nível de conhecimento em PHP e CSS.

 

 

Terceira etapa: quanto vai custar?

 

A terceira e última etapa envolve os custos da empreitada. De um lado, temos o WordPress, que possui a instalação gratuita, porém oferece uma série de serviços premium que uma hora ou outra serão utilizados e são cobrados – isso inclui desde temas até plugins e determinadas ferramentas.

Do outro lado, temos os custos que envolvem a criação do site sem uma plataforma: servidores, empresas de hospedagem, salários da equipe de T.I., dentre outros. Numa comparação sem muito critério, o WordPress pode custar mais que uma hospedagem simples, já que sua versão gratuita possui pouquíssimas funcionalidades. Em contrapartida, o tempo gasto com o desenvolvimento do site seria bem menor com a presença da plataforma.

É claro que tudo depende de quão complexo o website é. Talvez você não utilize tantos plugins e, por isso, os custos com o WordPress seriam menores se fôssemos comparar o quão custoso pode ser contratar determinados planos de hospedagem que ofereçam algum tipo de serviço ou ferramenta extra para desenvolvimento do site. Nessas horas, colocar todas as contas na ponta do lápis é, sem dúvida, a melhor maneira de decidir.

Você já possui um site na Internet? Se sim, qual das duas opções escolheu? E, caso ainda não possua, qual delas pretende escolher? Continue ligado no Dicas de Hospedagem para mais novidades e informações sobre WordPress e desenvolvimento de sites!



Você também vai gostar de:

Share This