web analytics

A facilidade de instalar, configurar e manter blogs WordPress nos dias de hoje não lembra em nada o passado desse tipo de publicação, cuja manutenção era reservada a semi-especialistas em programação e gerenciamento de servidores, ou no mínimo a um geek de plantão que se dispusesse a tal. Hoje, com um processo de instalação muito facilitado, o WordPress está acessível a qualquer internauta com um plano de hospedagem em mãos que suporte os requerimentos mínimos da plataforma. De fato, vários serviços de hospedagem oferecem instaladores automáticos que diminuem as etapas de implementação do WordPress a apenas uma: definir o nome do blog, usuário de acesso e senha.

Os requerimentos mínimos de servidor exigidos pelo WordPress são realmente modestos, e portanto abrem o caminho para que virtualmente qualquer serviço de hospedagem comercial suporte a plataforma de blogs:

–       PHP versão 5.2.4 ou superior

–       MySQL versão 5.0 ou superior

–       Módulo mod_rewrite do Apache

A enorme quantidade de serviços que anunciam o suporte ao WordPress e oferecem instalações de um clique assusta o usuário menos experiente que esteja à procura de um lugar confiável para começar um blog ou expandir algo já existente.

Então, qualquer hospedagem basta, já que atende aos requerimentos mínimos de instalação do WordPress, não é? Meu foco então é encontrar a mais barata, certo?

Errado. Se o seu objetivo é ter um blog WordPress (ou usá-lo como CMS para ter um site completo) que seja estável e esteja pronto para crescer sem engasgos, vai precisar que sua hospedagem seja capaz de resolver os 3 problemas mais comuns:

1. Desempenho

Você contratou uma hospedagem e instalou o WordPress. Configurações aqui, um tema legal ali, tudo pronto para ser um hit da internet… mas ao menor sinal de tráfego de visitantes, seu blog vira uma carroça que mais lembra a experiência da internet discada na década de 1990 do que o Porsche que antes reluzia aos seus olhos.

O maior problema é que a maioria das hospedagens utiliza servidores compartilhados com centenas (e mesmo milhares) de usuários simultaneamente. Isso quer dizer que seu blog compete por recursos do servidor, e às vezes sai perdedor dessa briga. O WordPress consome uma boa quantidade de recursos de processador e memória RAM do servidor. Isso quer dizer que, em um ambiente de hospedagem compartilhado com milhares de outros usuários, se há muitos blogs WordPress em funcionamento, todos eles sofrerão com a competição por recursos do servidor. E o pior: o servidor pode ter blogs de alto tráfego, que não dão a menor chance para o resto.

O resultado é que você vai ter um blog lento, e blogs lentos não atraem nem visitantes, nem mecanismos de busca.

2. “Um clique” não quer dizer que tudo está pronto

Ainda que, como dissemos, a maioria dos serviços de webhosting possa oferecer instalações de ‘um clique’, isso não quer dizer que usuários menos experientes (supostamente os destinatários dessa facilidade) tenham tudo o que precisam para um blog bem configurado e otimizado. Os problemas mais comuns para um usuário que deseja se focar mais no conteúdo do que na parte técnica são: (i) falta de orientação sobre plug-ins essenciais, (ii) dificuldade de encontrar temas visuais adequados ao assunto ou função do blog, (iii) falta de experiência sobre como dar mais visibilidade ao blog nos buscadores, e (iv) falta de orientação sobre como deixar o blog o mais rápido e otimizado possível para que os visitantes tenham uma excelente experiência.

Para o usuário que precisa que o blog “simplesmente funcione”, a instalação de um clique não é o suficiente. Ao invés de se preocupar com o conteúdo e formas de atrair tráfego, o usuário precisará fazer sua própria pesquisa sobre como deixar o blog no melhor de seu funcionamento, sem precisar aprender com os próprios erros.

3. Você está sozinho

Não espere que todos os serviços de hospedagem estejam preparados para resolver suas dúvidas de WordPress. Na verdade, a maioria não está, e o usuário pode sentir-se muito frustrado ao descobrir que está completamente sozinho quando o blog sai fora do ar com uma mensagem “Error establishing a database connection”. Triste, real, e acontece todos os dias. Nessas horas, resta o Google, amigo de sempre, mas que não vai resolver nada por você. E se inglês não é lá o seu forte, então as chances de encontrar uma solução caem a níveis desoladores.

E não é só para resolver problemas que a empresa de hospedagem deveria servir. A oferta de soluções é também um critério importante ao escolher. E se você precisar customizar o visual do blog para as suas necessidades? E se precisar que o blog funcione de um jeito totalmente diferente, parecendo-se com um site comum? Sem serviços agregados à disposição (pagos, obviamente), o usuário está mais uma vez entregue à sorte do Google ou de indicações de amigos de amigos.

Mas não desanime. Hospedar WordPress pode ainda não ser um mar de rosas como parecia, exigindo mais trabalho de sua parte do que o previsto, mas o Dicas de Hospedagem não vai te deixar na mão. Estamos preparando artigos justamente sobre isso, para que você realmente se preocupe com o conteúdo e o sucesso do seu blog, e não com as tecnicalidades que você deseja manter distantes, se possível em um universo paralelo.



Você também vai gostar de:

Share This