web analytics

Post longo é ruim?

 

Já falamos antes aqui no Dicas de Hospedagem, mas vale a pena repetir: uma das melhores maneiras de desenvolver seu website e colaborar com SEO é através do marketing de conteúdo. Com ele, você consegue divulgar os produtos e serviços de seu negócio e relacioná-los a conteúdos diferenciados, relevantes e informativos – isso é, se você estiver fazendo do jeito certo.

E existe um jeito certo? Não depende de cada um, com seu próprio estilo de escrita, seu jeito único de passar informação e compartilhá-la com os leitores? Bem, sim e não. Estilo é importante, pois ajuda a moldar a identidade do escritor. O valor da informação é tão importante quanto, já que os usuários não vão começar a ler uma publicação que não traz um conteúdo interessante e relevante para suas vidas.

Mas tem o outro lado. Especialistas e colunistas de importantes veículos de comunicação comprovam que algumas pessoas estão errando na hora de praticar o marketing de conteúdo. Dependendo da maneira que você está organizando seus posts, pode estar afastando seus leitores e prejudicando o tráfego do site.

Sendo assim, lançamos a pergunta…

 

 

… será que você está errando?

 

O erro mais comum é se preocupar com o tamanho do texto. Enquanto alguns acreditam que “menos é mais”, outros preferem discorrer sobre um tema incessantemente até que o texto adquira um tamanho considerável. Qual deles está certo?

A resposta: nenhum deles.

A preocupação primordial de um artigo deve ser seu objetivo. É preciso definir como o tema será desenvolvido e em qual ponto você quer chegar. Se você conseguir fazer isso em menos de duzentas palavras, ótimo! Se você precisa de mil, duas mil ou até mais palavras para concluir uma ideia, não tem problema também. O que fará o leitor se identificar com a publicação e talvez compartilhá-la com os amigos nas redes sociais é justamente o conteúdo – e não o quão longa ou breve ela é.

Vamos explicar isso com mais detalhes. Estudos do Nielsen Norman Group apontam que os usuários tendem a ler de 20 até 28% de uma postagem longa. Sendo assim, a prática de enxugar conteúdo e criar publicações objetivando cada vez menos palavras passou a ser mais e mais comum. Afinal, pra que investir meu tempo criando algo que não será lido por completo?

Isso até faz sentido, principalmente se você possui um blog com o objetivo de falar sobre um determinado produto ou serviço. Se a ideia é trabalhar com o marketing de conteúdo e tirar proveito disso, porém, é válido reavaliar essa ideia e tentar enxergar o outro lado.

 

 

E qual seria o outro lado?

 

Bem, esse outro lado é muito bem explorado por Jonathan Morrow, editor associado do CopyBlogger. Ele dedicou toda uma publicação para falar justamente sobre postagens longas e o mito de que elas afastam leitores – e a “fórmula mágica” apresentada por Morrow é mais óbvia do que se imagina. Para ele, só é preciso fazer duas coisas:

  • Escrever um texto interessante
  • Eliminar do texto o que não é interessante

Partindo desse princípio, por que se preocupar tanto apenas com o tamanho de uma publicação, se isso não passa de uma consequência de um bom texto? Independente da utilização de elementos gráficos, como imagens e vídeos ilustrativos, é a qualidade do texto que definirá, no fim das contas, o quão boa é uma publicação.

Um exemplo disso é o site Buzzfeed, que compartilha conteúdos de humor e curiosidades. Sabe-se que o site consegue manter os usuários por um bom tempo navegando por suas infindáveis publicações – que, geralmente, se resumem em listas com mais de 30 ou 40 itens sobre um tema específico. São postagens que unem texto + imagem, e não são necessariamente breves. Pelo contrário, algumas postagens são até longas demais, com mais de 50 itens compondo uma lista.

 

 

O impacto das postagens em SEO.

 

Já dissemos que marketing de conteúdo colabora com SEO, mas vale a pena reafirmar isso. De acordo com o site serpIQ, o top 10 de resultados do Google tem publicações com pelo menos duas mil palavras. Isso ocorre porque o mecanismo de busca do Google procura minuciosamente por cada pedaço do conteúdo, como a publicação em si, o título e qualquer outra informação compartilhada por você.

Além disso, uma postagem maior permite mais palavras-chaves – outro ponto favorável para SEO. Sendo assim, é possível utilizar palavras-chaves mais gerais e outras um pouco mais específicas, o que aumenta exponencialmente as chances de seu site aparecer como resultado de uma busca relacionada a ele.

E já que estamos falando no Google, é valido lembrar que o site, assim como o Bing ou o Yahoo, representa a porta de entrada para sua página. Cada vez menos, os usuários acessam um site pela homepage – em torno de 39% do tráfego recebido diariamente, para ser mais exato. O restante o faz pelos buscadores ou então por links nas redes sociais. Essa é uma das razões para moldar seu site para que seja o mais interativo possível com as redes sociais. Permita que os usuários compartilhem suas publicações no Facebook com o mínimo de esforço possível – e lembre-se de sempre divulgar em seus perfis nas redes sociais quando um novo artigo for publicado.

Com o acesso cada vez mais reduzido pelas homepages, recomendamos também que você coloque informações importantes sobre sua empresa ou o que quer que considere relevante em todas as suas páginas – e não apenas na página inicial. Dessa maneira, você se certificará de que as pessoas terão acesso àquilo que considerar válido, não precisando entrar no site apenas pela “porta da frente”. Uma boa maneira de interligar seu site de maneira eficaz é através da linkagem interna.

 


O que uma postagem deve ter?

 

Para finalizar, faremos um apanhado de todos os fatores que devem ser levados em consideração numa publicação que, de fato, prende a atenção dos leitores.

  1. Propósito: como já dissemos acima, o objetivo do artigo deve sempre estar em mente durante seu desenvolvimento. Pense na ideia que deseja passar e encontre a melhor maneira de fazê-lo.
  2. Substância: basicamente, é o que você precisa para conseguir passar uma ideia. Se você conseguir fazê-lo com cem palavras, ótimo. Se precisar de três mil, ótimo também.
  3. Estilo: também falamos sobre isso no início dessa publicação. O estilo nada mais é do que sua identidade como escritor. Deixe sua marca e encontre a melhor maneira de se comunicar com seu público. Muitos preferem desenvolver um assunto como se estivessem conversando com os leitores, enquanto outros o fazem de uma maneira mais formal.
  4. Formato: além do estilo próprio e da maneira com que você desenvolve a postagem, lembre-se de utilizar a formatação a seu favor. Destaque o que for importante, não use imagens que tirem a atenção do texto e evite as “torres de texto”. Parágrafos mais curtos ajudam a eliminar a poluição visual.
  5. Mídias: conteúdo não se resume apenas em palavras. Use de imagens, infográficos e vídeos para ilustrar suas postagens e fisgar também os usuários que preferem acessar a informação mastigada em um gráfico, por exemplo, ao invés de obtê-la com a leitura completa do texto.
  6. Público: obviamente. o sucesso de seu site depende de seu público. Logo, conheça suas necessidades e tente identificar o que os visitantes de seu site consideram relevante. Só assim você atenderá suas expectativas com o marketing de conteúdo.
  7. Frequência: manter um ritmo de postagem é interessante. Se você determinar que um novo conteúdo será postado toda quarta-feira, muitos usuários irão até seu site às quartas para conferirem as novidades. A frequência na postagem ajuda também a desfazer aquela imagem de site abandonado, mantendo longe o amadorismo.

E, agora, ficam as perguntas: o marketing de conteúdo de seu site está em dia? Você conseguiu identificar que está errando em algum ponto através das dicas compartilhadas nessa publicação? Quais medidas você tomou para trabalhar corretamente com o marketing de conteúdo de sua página?

Compartilhe as boas práticas e tire suas dúvidas sobre marketing de conteúdo através da seção de comentários!



Você também vai gostar de:

Share This