web analytics

Adaptar os departamentos de TI às demandas atuais não é uma tarefa fácil. Basicamente, espera-se fazer cada vez mais com cada vez menos. Menos investimento, menos tempo, menos pessoal e mais resultados, mais metas sendo devidamente cumpridas.

Para alcançar esse objetivo, algumas medidas são tomadas e, dentre elas, está a redução de gastos com infraestrutura e servidores. Manter um servidor próprio e lidar com os eventuais problemas que este acarreta vai de encontro com a ideia de fazer mais com menos. Isso porque o mero gasto de energia para manter um servidor funcionando ininterruptamente, por exemplo, revela-se maior do que o esperado.

O problema é que nem toda empresa possui o conhecimento ou os recursos necessários para satisfazer as demandas online. Com isso, se destacar entre os gigantes – as empresas que já se estabeleceram no ramo – é ainda mais penoso.

Felizmente, algumas modalidades dentro do segmento da hospedagem podem apresentar a solução ideal para essa questão. Na publicação de hoje, falaremos especificamente de duas: o Colocation e o Cloud Computing.

 

Hospedagem na Nuvem

 

Qual o melhor tipo de hospedagem de sites: Colocation ou Cloud Computing?

 

Quando estamos diante de duas opções, essa pergunta surge quase que automaticamente em nossas cabeças. É óbvio que sempre queremos escolher a melhor alternativa, mas, nesse caso, é preciso determinar suas necessidades. Você precisa ter total controle sobre o equipamento em que o servidor se baseia? Quem sabe, você procura uma equipe terceirizada para cuidar da manutenção do servidor?

Para começar, vamos compreender melhor a definição do Colocation e do Cloud Computing.

 

Hospedagem Colocation: com o colocation, as empresas mantém seu próprio equipamento, mas compartilham as despesas relacionadas a banda, conexão, eletricidade, espaço para dados, dentre outros, com o provedor do colocation. Com isso, você garante que o servidor funcione corretamente e, ao mesmo tempo, tem controle sobre o equipamento. Sua equipe de TI pode intervir e cuidar da manutenção do servidor sempre que precisar ou considerar necessário.

O problema com o colocation é justamente a dependência com um espaço terceirizado. Se a empresa que presta esse serviço passar por algum tipo de problema, como condições climáticas desfavoráveis, suas atividades online são diretamente afetadas – apesar de todas as garantias de alguns prestadores que dizem estar prontos para lidarem com esse tipo de problema. Logo, é preciso garantir que seu site será mantido no ar cem por cento do tempo.

Apesar de ser uma opção um pouco mais cara, o colocation pode prolongar a vida útil de seu servidor e garante uma vigilância contínua dos equipamentos necessários para fazerem o servidor funcionar corretamente. Garanta que a empresa escolhida por você esteja de acordo com esses requisitos!

 

Cloud Computing: sem dúvidas um dos assuntos mais comentados do momento e constantemente citado aqui no Dicas de Hospedagem, o Cloud Computing dispensa o equipamento físico da sua empresa para hospedar seu servidor na nuvem. Logo, todas as questões relacionadas a hardware e infraestrutura, como servidores, armazenamento e banda, são administradas pelo provedor da hospedagem em nuvem.

Ao contrário do sistema do colocation, que pode ser alvo do ambiente, o cloud computing possui uma garantia maior de que seu servidor estará funcionamento cem por cento do tempo – mas seu controle sobre ele diminui, já que a equipe do provedor é quem cuidará das questões técnicas.

O colocation exige que você adquira seu próprio servidor, softwares e espaço para armazenamento. Além disso, sua equipe de TI ainda cuidará do monitoramento do servidor e precisa estar pronta para eventuais manutenções e resoluções de problemas – há empresas, entretanto, que oferecem toda a parte de suporte como outro serviço.

O cloud computing, por sua vez, possui um time especializado para cuidar do monitoramento do servidor e das questões técnicas, ou seja, você pode direcionar sua própria equipe de TI para desenvolver outros projetos em prol de sua empresa. Um dos pontos de atenção aqui, porém, é com a disponibilidade do suporte do provedor. Ele funciona 24/7? Quais os procedimentos de resolução de problemas? Vale a pena checar isso.

 

Outro ponto que deve ser levado em consideração com o cloud computing refere-se à questão da segurança: o provedor deve disponibilizar uma garantia de um alto nível de segurança, tanto com os dados no ambiente virtual como com a parte física, como hardwares e outros equipamentos. Só assim é que você poderá ter certeza de que suas informações estão protegidas e que sua página na web ficará no ar sem interrupções.

Percebe-se que, apesar de algumas semelhanças, cada um desses modelos de hospedagem oferecem algumas vantagens individuais. É preciso ter como base suas normas de segurança, escalabilidade, receita disponível para investimentos, dentre outros, para tomar uma decisão mais acertada.

 

Ranking top 10 hospedagem de sites

 

Cloud Computing e Colocation podem coexistir?

 

Um fato interessante: com os eventuais problemas do cloud computing e a dificuldade de algumas empresas em manter o equipamento necessário para oferecer esse tipo de serviço, é possível ver algumas empresas do segmento optando por compartilhar os gastos através do colocation para economizarem. Isso só comprova que os dois sistemas podem coexistir, o que fortalece alguns pontos importantes, desde a manutenção de servidor, os requisitos de segurança e até mesmo a funcionalidade de aplicações que necessitam também da banda do servidor físico para funcionarem corretamente.

Entretanto, essa relação tênue entre o cloud computing e o colocation levanta uma questão: se até algumas empresas especializadas na hospedagem em nuvem estão recorrendo ao colocation para poupar gastos e aumentar o rendimento de performance para estar de acordo com as demandas de mercado, por que os clientes que estão divididos entre esses dois tipos de hospedagem não optam logo de cara pelo colocation também?

Fica claro que o Cloud Computing possui suas próprias vantagens, como citamos acima, e as constantes evoluções no segmento tendem a trazer ainda mais diferenciais, mas ainda assim gostaríamos de convidar os visitantes do Dicas a refletirem sobre essa questão. Para os que já utilizaram o colocation, vale a pena? O sistema deve em algum requisito para a hospedagem em nuvem? E quanto ao cloud computing, ele mantém-se como a melhor opção?

Participe do Dicas de Hospedagem através da seção de comentários!



Você também vai gostar de:

Share This