web analytics

Dedicaremos este espaço no Dicas de Hospedagem para falar sobre um assunto que pode despertar algumas dúvidas tanto para aqueles que estão começando no ramo da hospedagem, como também para as pessoas que desejam desenvolver um site para suas respectivas empresas.

O que são permissões de arquivos no Linux?

Você sabia que todo arquivo que é carregado em um website tem uma permissão atribuída a si? Basicamente, essa permissão determina quais usuários podem acessar, alterar ou executar o arquivo em questão. Para quem utiliza o sistema Linux, já deve estar acostumado a esse tipo de configuração, que se mostra rara no Windows ou no iOS.

Como os servidores dos sites são administrados a partir de sistemas como o Linux, é preciso compreender sobre as permissões de arquivo e como elas podem afetar o desenvolvimento de um site.

Para começar, vamos ao básico…

 

Conceito de Owner, Group e All Users.

Essas três nomenclaturas definem os níveis de permissão para os arquivos, sendo “owner” o nível mais alto e “all users”, o mais baixo.

Owner – Como o próprio nome diz, é o “proprietário” do arquivo ou diretório. Suas permissões não impactam às dos outros usuários. Sua referência é a letra u.

Group – O group representa um grupo de usuários atribuído ao arquivo. Suas permissões diferem do restante dos usuários. Sua referência é a letra g.

All Users – Diz respeito aos outros usuários do sistema, e é justamente aqui que você deve prestar atenção. Sua referência é a letra a ou o.

Cada grupo é representado por um código específico que deve ser inserido na linha de comando do arquivo em questão. Antes de mostrarmos na prática como a linha de comando funciona, vamos explicar quais são os tipos de permissão e qual ação cada um deles representa.

 

Conceito de read, write e execute.

Cada uma dessas permissões diz respeito a ações realizadas com o arquivo.

Read – O usuário consegue visualizar e ler as informações do arquivo. É representado pela letra r.

Write – Não apenas visualizar, o usuário pode também alterar as informações do arquivo. É representado pela letra w.

Execute – Permite ao usuário executar um arquivo ou as informações de um diretório. É representado pela letra x.

 

Como funcionam as linhas de comando das permissões?

Vamos considerar o seguinte exemplo

drwx—— 2 owner group 4096 Mar 19 2012 file1

O que isso significa?

Bem, após a letra d, que representa o diretório, estão as letras que representam as permissões. Cada grupo pode ter três permissões, sendo r (read), w (write) e x (execute). O –, por sua vez, representa a não atribuição de uma permissão para um grupo.

Desmembrando essa linha de comando, fica claro que o owner tem todas as permissões, enquanto os outros dois grupos não tem nenhuma permissão ao arquivo file1.

 

Vamos para um segundo exemplo.

drwxrw-rw- 2 owner group 4096 Mar 19 2012 file1

Dessa vez, as três permissões estão disponíveis para o owner, enquanto as “read” e “write” estão disponíveis para o group e os outros usuários. Novamente, o – serve para indicar uma permissão negada a um determinado grupo.

Para atribuir ou eliminar uma permissão a um determinado grupo, basta usar respectivamente os comandos chmod (letra que representa o grupo)+(letras que representam permissões) file1 e chmod (letra que representa o grupo)-(letras que representam permissões) file1.

 

Para mais informações sobre permissões de arquivo, basta acessar o manual online do Linux clicando aqui.

Se ainda tiver alguma dúvida sobre permissões de arquivo, não deixe de compartilhá-la conosco nos comentários!



Você também vai gostar de:

Share This