web analytics

Mesmo faltando alguns meses para entrar no ar, as regras sobre domínios personalizados de sites na internet continuam causando polêmica entre o ICANN (Internet Corporation For Assigned Names and Numbers) e diversas entidades ligadas à internet. O último round desta disputa aconteceu com a ANA (Association of National Advertisers ou Associação Nacional dos Anunciantes), entidade que levantou muitas questões em relação a liberação dos domínios personalizados.

Para quem não sabe do que se trata esta discussão em relação a domínios personalizados, é o seguinte: o ICANN, órgão regulador de registros na internet, aprovou que a partir de janeiro as empresas poderão registrar sites com o final personalizado. Ou seja, em vez de usar o “.com”, as empresas vão poder utilizar o “.cocacola” por exemplo. Em outro artigo, o Dicas de Hospedagem explicou mais detalhadamente do que se trata a liberação dos novos domínios para registro

dicas de hospedagem icann

O ICANN (se você não sabe o que é o ICANN, veja esta postagem do Dicas de Hospedagem que explica o assunto) defende profundamente a nova proposta dos domínios personalizados. A entidade, que é sem fins lucrativos, acredita que o novo processo vai democratizar o registro de domínios na internet. Além disso, vai facilitar o acesso a sites, uma vez que muitos usuários não vão precisar mais digitar o endereço inteiro e sim apenas o nome da marca.

Esta posição do órgão regulador dos registros na web têm gerado críticas. A ANA é uma das entidades que tem atacado publicamente a nova proposta. Segundo a associação (que tem a participação de empresas como a Apple), os proprietários das marcas vão ter dificuldade em defender o nome de suas empresas. Para defender as marcas, as empresas teriam que desembolsar nada menos do que 185 mil dólares para registro do domínio personalizado.

O preço alto dos domínios personalizados é outra questão polêmica no caso. Por quê uma empresa sem fins lucrativos (como a ICANN) cobraria um preço tão exorbitante para o registro de um Domínio de Primeiro Nível (se não sabe o que é DPN, veja esta postagem do Dicas de Hospedagem) personalizado? Estes são os principais pontos que a ANA tem levantado em relação a regra que vai passar a valer a partir de janeiro do ano que vem.

Depois da tantas críticas, o ICANN acabou respondendo publicamente a ANA. O ICANN afirmou que houve muito tempo para o debate destas questões e que a decisão de aprovação dos domínios personalizados foi democrática. A empresa também afirmou que as marcas serão protegidas, já que para registrar o DPN personalizado as empresas terão que ser dona do registro de marcas do domínio. Opiniões à parte, esta parece ser uma questão que ainda vai gerar muita polêmica.



Você também vai gostar de:

Share This