web analytics

SEO com o Google!

Você já ouviu falar sobre o Webmaster Guidelines do Google? Trata-se de um guia com ideias, sugestões e boas práticas para desenvolver a otimização de sites em sua página. Não estamos falando de um manual de regras do SEO, e sim um roteiro que pode ou não ser seguido.

Recentemente, o Google atualizou alguns pontos de seu Webmaster Guidelines, e dedicaremos a publicação de hoje para falar um pouco sobre eles – além de lembrar alguns conceitos fundamentais de SEO.

Vamos lá?

Criptografia: segurança em primeiro lugar.

Após os inúmeros ataques que tivemos na rede nos últimos meses, como o Heartbleed, não era surpresa nenhuma o Google se pronunciar sobre a importância da segurança em um site e como ela pode impactar positivamente SEO.

Depois de estabelecer a segurança como seu novo algoritmo, o Google se aprofunda um pouco mais e lista a criptografia como uma boa prática. Falamos sobre ela na publicação passada, onde abordamos alguns conceitos sobre o certificado SSL, e aqui reforçamos a ideia: criptografia é, cada vez mais, uma peça vital de qualquer site. Sabemos que o Google deseja expandí-la, tirando-a da exclusividade dos grandes portais e ecommerces e passando-a também para sites que são considerados “apenas leitura”, como blogs.

Sabe-se também que o Google pretende realizar algumas modificações em seu navegador, o Chrome, com o intuito de colocar um aviso em sites sem criptografia. Dessa maneira, o usuário ficará sabendo assim que acessar a página se suas informações estão ou não resguardadas.

Perceba que, além de impactar SEO, a criptografia pode até atrair ou afastar novos visitantes em seu site. Imagine o que aconteceria se um usuário entrasse em sua página e se deparasse com um aviso de “este não é um site seguro”? Com certeza, procuraria outra página com conteúdo semelhante e que possua criptografia. Não é o que você faria?

 

Sites responsivos e acessibilidade

Um dos assuntos mais abordados no ano passado, vale a pena reforçar um pouco sobre sites responsivos – aqueles que são compatíveis com dispositivos móveis e se adaptam a eles, oferecendo uma melhor experiência de navegação.

Cada vez mais, essa será uma maneira de “separar o joio do trigo”. O Google não deseja enviar seus usuários para sites que não ofereçam excelência em navegação – e, como a maioria dos acessos atualmente se dá por celulares, tablets e smartphones, um dos quesitos vitais para uma boa experiência num site é a compatibilidade com dispositivos móveis.

Ainda não se adaptou a essa nova exigência? Sugerimos que comece o quanto antes!

Além disso, outro quesito que garante uma boa experiência de navegação é a acessibilidade. Imagine que um site possui um conteúdo rico, mas que, para acessá-lo, o usuário deve acessar novas janelas, abrir guias, expandir seções e carregar novas tabelas? Além de perder tempo, fica muito complicado fazer o caminho inverso – ou seja, retornar depois para a busca do Google e procurar outros sites. Por fim, isso pode prejudicar pessoas com problemas de acessibilidade, como usuários com deficiência visual que usam leitores de tela para navegar.

Pela primeira vez no Webmaster Guidelines, a acessibilidade deve ser levada em consideração.

Facilidade no acesso a todas as áreas do site.

Primeiramente, vamos pensar que uma parcela muito pequena de seu tráfego acessa seu site pela homepage. Geralmente, isso é feito através de uma pesquisa num mecanismo de busca – ou seja, é como se os usuários entrassem em seu site pelas portais laterais ao invés do portão principal. Isso significa que todas as áreas de seu site devem estar muito bem linkadas para que o público consiga acessá-las sem grandes problemas.

Além disso, é irrefutável a ideia de uma área de seu site não poder ser acessada por um link. Se ela não possui um link, significa que o Google não pode indexá-la em seu mecanismo de busca, tornando-a inacessível para quem ainda não está em seu site. Certifique-se de que toda e qualquer página possua seu respectivo link.

Esses conceitos sempre foram muito discutidos e tornaram-se senso comum, mas admitimos que é interessante o Google dedicar uma parte de seu guia para lembrar os usuários sobre eles.

Basicamente, o Webmaster Guidelines não irá resolver todos os seus problemas, mas poderá inspirá-lo a encontrar soluções para eles. Que tal dar uma olhada no guia agora mesmo, e se certificar que seu SEO está em dia?

Para mais notícias sobre otimização de sites, continue ligado no Dicas de Hospedagem!



Você também vai gostar de:

Share This